Mês de Agosto, Mês das Vocações

 

Mês de Agosto, mês das Vocações:

Em cada um dos próximos domingos rezaremos por uma determinada vocação

 

Em 1981, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), na 19ª Assembleia Geral, instituiu agosto como o Mês Vocacional. De lá para cá, cada domingo do mês de agosto é dedicado à celebração de uma determinada vocação. No primeiro, celebra-se sacerdócio e os ministérios ordenados; no segundo, o matrimônio junto à semana da Família; no terceiro, a vida consagrada, e por fim, no quarto, a vocação dos Leigos.

O coordenador nacional da Pastoral Vocacional da CNBB, padre Elias Aparecido da Silva, explica o motivo deste mês especial:

“O objetivo principal é animar e reanimar as comunidades, paróquias e dioceses que rezem pelas vocações de forma especial incentivando as orações e promovendo as vocações em cada realidade e da sua maneira”.

Padre Elias ainda convida os fiéis a celebrar esse mês vocacional na sensibilidade da oração, colocá-lo como intenção no seu terço, no grupo de oração. Segundo o padre, cada um pode rezar do seu modo e promover a vocação em suas comunidades.

Fonte: https://pt.aleteia.org/2018/08/01/agosto-o-mes-das-vocacoes/

Festa da Assunção de Nossa Senhora, dia 15, 18 e 19/08

Cronograma:

Dia 15/08 – 10:00: Missa na Igreja Matriz. Logo após completo serviço de bar e cozinha.

Dia 16/08 – 19:00: Adoração e Bênção do Santíssimo Sacramento na Igreja Matriz.

Dia 17/08 – 19:00: Procissão luminosa com a oração do Terço para a gruta. Encerramento das Missões da Semana da Família.

Dia 18/08 – 19:00: Missa na Igreja Matriz. Às 20:00, Sorteio de prêmios no galpão de festas e completo serviço de bar e cozinha.

Dia 19/08 – 10:00: Missa Festiva na Igreja Matriz com a presença dos Senhores Festeiros, animação com o Coral Municipal de Angelina e do Bispo Auxiliar Emérito de Florianópolis, Dom Vito Schlickmann. Às 14:00 Animação no galpão de festas com Som Angel. Durante todo o dia haverá completo serviço de bar e cozinha.

 

Aniversariantes do Mês de Agosto

Aniversariantes:

 

01/08 – Alexandro Leopoldo Eli;

01/08 – Neri Laudelino Andrade;

03/08 – Antônio Eli;

03/08 – Oscar Schmitt;

04/08 – Iracema de Moraes;

09/08 – Maria Madalena F. Eli;

09/08 – Salésia Gorges Petry;

11/08 – Gervásio Antônio Sens;

18/08 – Nelito Schmitt;

21/08 – Luiz Carlos Gazziero;

25/08 – Antônio Mulmelstt;

26/08 – Claudete Terezinha Kretzer;

27/08 – Francisco Solano Schappo;

27/08 – Salute Cancelier Fuck;

Conheça as promessas feitas para quem usa o escapulário do Carmo

Conheça as promessas feitas para quem usa o escapulário do Carmo

Entre as devoções marianas mais antigas e propagadas ao longo da história da Igreja está a do Escapulário do Carmo. Inúmeras são as graças e livramentos atribuídas a Nossa Senhora do Carmo. Recai sobre esta prática duas grandes promessas. Porém, antes de falar sobre elas, conheçamos mais a devoção à Virgem do Carmelo.

Um pouco da história do Carmo

Ainda que não se tenha precisão quanto a data do início da ordem, nem quem seria seu fundador, o que se conhece dos carmelitas data do século XII, quando Bertoldo dirige-se para o Monte Carmelo, seguido posteriormente por inúmeros homens que desejavam viver o deserto e o silêncio, inspirados na vida do profeta Elias.

A grande fonte espiritual dos monges era imitar as virtudes de Maria, vivendo imersos na oração e no escondimento. Porém, durante o movimento das Cruzadas, os monges foram expulsos da Terra Santa e ocorreu uma fuga em massa para a Europa.

Uma grande tribulação recai sobre a ordem, tendo em vista que os europeus não queriam mais pobres para sustentar em um momento histórico tão complexo. A ordem ameaçou ser extinta, e a essa altura tinha como superior São Simão Stock.

Maria socorre a Ordem do Carmo com o escapulário

Diz a tradição que em 16 de julho de 1251,  São Simão suplicava a Nossa Senhora socorro para tal tribulação da Ordem Carmelitana. Então, a Virgem apareceu lhe trazendo o Escapulário nas mãos, e disse: “Filho diletíssimo, recebe o Escapulário da tua Ordem, sinal especial de minha amizade fraterna, privilégio para ti e todos os carmelitas. Aqueles que morrerem com este Escapulário não padecerão o fogo do Inferno. É sinal de salvação, amparo e proteção nos perigos, e aliança de paz para sempre”.

Inicialmente, o Escapulário consistia em uma veste marrom, que caia sobre o peito e as costas do monge. Porém, com o passar do tempo, a Igreja autorizou o uso de um escapulário menor, feito de pano com as estampas do Sagrado Coração de Jesus e da imagem de Nossa Senhora do Carmo.

Basicamente, se usa o escapulário como sinal do amor e amparo da Virgem Maria, de pertença a Mãe de Deus de todo coração e da disposição a carregar o suave jugo de Jesus.

Sobretudo, o fundamento desta devoção consiste em pedir a proteção da Santíssima Virgem e empenhar-se em viver suas virtudes. Como disse o Concílio Vaticano II: “A verdadeira devoção nasce da fé, que nos faz conhecer a grandeza da Mãe de Deus e nos incita a amá-la como filhos e a imitar as suas virtudes”.

As promessas do Escapulário

Quem traz consigo o escapulário do Carmo, é ciente de suas duas promessas fundamentais:

  • Morrer em estado de graça.

Ainda quando apareceu a São Simão Stock, a Virgem afirmou: Aqueles que morrerem com este Escapulário não padecerão o fogo do Inferno. Porém, isso não significa uma autorização para uma vida de pecado, contanto que se use o escapulário. Muito pelo contrário. Se entende, que o cristão devoto, busca imitar as virtudes de sua Mãe Santíssima, portanto empreende uma vida austera, penitente e de profunda espiritualidade. A promessa de Nossa Senhora do Carmo consiste em sua guarda e assistência na hora da tentação final, lhe garantindo a possibilidade da contrição sincera, e o recebimento dos Sacramentos.

  • Sair quanto antes do Purgatório.

Segundo antiga tradição, Nossa Senhora em aparição ao Papa João XXII, concedeu o que conhecemos como “privilégio sabatino”. Ou seja, prometeu livrar do Purgatório, no primeiro sábado após a morte, todos os que carregarem consigo o Escapulário. Para se beneficiar dele é preciso manter a castidade segundo o próprio estado, recitar o Ofício da Imaculada ou rezar o terço todos os dias.

Porém, isso também precisa ser entendido de modo profundo. Para Deus, não há realidade temporal. Se tivermos que passar pelas purificações do Purgatório, nós ali permaneceremos tanto quanto nos for preciso para nos encontrarmos dignos de comparecer na presença do Deus Santo, mas saberemos que a Virgem Maria estará intercedendo por nós, a fim de que cumpramos esta etapa o mais breve possível e possamos ir ao Céu. O termo “sábado” se refere ao dia dedicado a Maria, ou seja, o momento em que a Graça de Deus se manifestará de acordo com sua intercessão.

Além disso, muitas são as indulgências que podem ser lucradas ao fiel que porta com devoção o Escapulário. Portanto, busquemos amar e imitar as virtudes de Nossa Senhora, e certamente alcançaremos suas promessas dia após dia, até nosso encontro definitivo.

Torne as graças de Nossa Senhora do Carmo conhecida por todos. Compartilhe esse post em suas redes sociais.

Hoje celebramos Nossa Senhora do Carmo, a mais bela flor do jardim de Deus

Hoje celebramos Nossa Senhora do Carmo, a mais bela flor do jardim de Deus

Segundo a tradição, no dia 16 de julho de 1251, São Simão Stock, superior dos Carmelitas, encontrava-se em profunda oração rogando por seus religiosos perseguidos quando a Virgem lhe apareceu com o hábito da Ordem na mão e entregou-lhe o escapulário.

Tempos depois, a devoção a Nossa Senhora do Carmo foi florescendo e a espiritualidade carmelita se estendeu por vários lugares do mundo.

A festa de Nossa Senhora do Carmo, que se celebra a cada 16 de julho, é ainda símbolo do encontro entre a Antiga e a Nova Aliança, porque foi no monte Carmelo (vocábulo hebreu que significa jardim) onde o profeta Elias defendeu a fé do povo escolhido contra os pagãos.

Por volta de 1205, Santo Alberto, patriarca de Jerusalém, entregou aos eremitas do Carmelo uma regra de vida, que foi aprovada pelo Papa Honório III em 1226. Eles tinham a missão de viver na forma de Elias e de Maria Santíssima, a quem veneravam como a Virgem do Carmo.

No século XIII, o Papa Inocêncio IV concedeu aos carmelitas o privilégio de ser incluídos entre as ordens mendicantes junto com os franciscanos e dominicanos. Os carmelitas passaram por algumas reformas, sendo a maior delas a realizada por Santa Teresa d´Ávila (Santa Teresa de Jesus) e São João da Cruz. Através dos séculos, esta espiritualidade deu muitos santos à Igreja.

Oração à Nossa Senhora do Carmo

Ó bendita e imaculada Virgem Maria, honra e esplendor do Carmelo! Vós que olhais com especial bondade para quem traz o vosso bendito escapulário, olhai para mim benignamente e cobri-me com o manto de vossa fraqueza com o vosso poder, iluminai as trevas do meu espírito com a vossa sabedoria, aumentai em mim a fé, a esperança e a caridade. Ornai minha alma com a graça e as virtudes que a tornem agradável ao vosso divino Filho. Assisti-me durante a vida, consolai-me na hora da morte com a vossa amável presença e apresentai-me à Santíssima Trindade como vosso filho e servo dedicado; e lá do céu, eu quero louvar-vos e bendizer-vos por toda a eternidade.

Nossa Senhora do Carmo libertai as benditas almas do purgatório. Amém!

Fonte: ACI Digital

Julho: mês dedicado à devoção ao precioso Sangue de Jesus

Julho: mês dedicado à devoção ao precioso Sangue de Jesus

No mês de julho, a piedade cristã nos motiva a refletirmos mais morosamente sobre o preço de nossa salvação, que se deu, por meio do Sangue de Jesus. “Eis por que, ao entrar no mundo, Cristo diz: …Eis que venho (porque é de mim que está escrito no rolo do livro), venho, ó Deus, para fazer a tua vontade” (Heb 10,5.7).

Jesus veio ao mundo para cumprir a vontade do Pai. “Porque é Deus que, em Cristo, reconciliava consigo o mundo, não levando mais em conta os pecados dos homens, e pôs em nossos lábios a mensagem da reconciliação” (2Cor 5,9). O apóstolo Paulo explica: “Por Seu Sangue, Cristo nos reconciliou com Deus: ‘Por seu intermédio, reconciliou consigo todas as criaturas, por intermédio daquele que – ao preço do próprio sangue na cruz –  restabeleceu a paz a tudo quanto existe na terra e nos céus’” (Cl 1,20).

O Sangue de Jesus nos santifica

 

Foi  no cumprimento da vontade de Deus, se entregando, derramando seu Sangue e morrendo na cruz que Jesus evidencia sua vida humana e divina. Por meio da Paixão de Cristo “é que nós fomos santificados, pela oferenda do corpo de Jesus Cristo, feita de uma vez para sempre” (Heb 10, 5-10). “Porque vós sabeis, que não é por bens perecíveis, como a prata e o ouro, que tendes sido resgatados da vossa vã maneira de viver, recebida por tradição de vossos pais, mas pelo precioso sangue de Cristo” (1Pd1, 28).

O Catecismo da Igreja Católica aponta: “A redenção vem-nos, antes de mais, pelo sangue da cruz” (CIC 517). Pelo Sangue de Jesus fomos libertos do pecado, da morte eterna, da escravidão do demônio. “Portanto, muito mais agora, que estamos justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira” (Rm 5,9).

A devoção ao Preciosíssimo Sangue do Senhor

 

São Padre Pio nos convida: “Contemplemos com devoção o sangue de Jesus derramado até a última gota por nós na cruz pela redenção da humanidade”.

Foi o Papa Bento XIV (1740-1748) o precursor a inserir na igreja a devoção ao santíssimo Sangue de Jesus com uma missa e o ofício em honra ao Sangue de Jesus. Mais tarde, o Papa Pio IX (1846-1878) incluiu a celebração no calendário litúrgico da Igreja e assim em todo o mundo, os católicos passaram a venerar o sangue de Jesus.

Gaspar de Búfalo foi um dos santos que mais propagou esta devoção entre os fiéis. Seu amor ao Sangue de Jesus era tão intenso que, ao fundar uma Congregação dedicou-a ao Preciosíssimo Sangue.

A espiritualidade dedicada ao Sangue de Cristo

 

Há diversas maneiras de venerarmos o sangue de Jesus e expressarmos nosso respeito e devoção.

  • Devotamos o sangue de Jesus no sacramento da confissão: Foi o sangue de Jesus que remiu a humanidade do pecado. A todo tempo encontramos esta remissão na confissão. Por meio do sacerdote, é Cristo quem perdoa nossos pecados e lava-nos com seu precioso Sangue, curando as feridas de nossa alma.
  • Tomamos parte do Sangue de Jesus na Comunhão: Também no sacramento da Eucaristia, Corpo e Sangue de Jesus, encontramos nossa libertação. Portanto, quando comungamos renovamos nossa aliança com Deus que, por amor, enviou seu filho para resgatar.
  • Veneramos o Sangue de Jesus por meio de orações: há uma infinidade de orações dedicadas ao Preciosíssimo Sangue, além do Terço do Sangue de Jesus e a Ladainha ao Preciosíssimo Sangue.

Neste mês de julho, como nos convida a Igreja, procure manifestar a Jesus sua gratidão pela salvação que ele nos trouxe por meio de seu Sangue derramado na cruz.

Faça a devoção ao preciosíssimo Sangue de Jesus ainda mais conhecida! Compartilhe nas suas redes sociais.

Manto de Nossa Senhora dos Navegantes coloca Brasil no livro dos recordes

Manto de Nossa Senhora dos Navegantes coloca Brasil no livro dos recordes

O Brasil entrou para o Guinness World Records, o livro dos recordes, com o maior manto de Nossa Senhora do mundo, o qual foi usado neste ano na Festa de Nossa Senhora dos Navegantes e tinha 1.059,80 metros quadrados.

O manto gigante foi abençoado e utilizado na procissão da 122.ª Festa de Nossa Senhora dos Navegantes, na cidade de Navegantes (SC), em 2 de fevereiro.

Na tradicional procissão, o manto da Virgem foi carregado por cerca de 5 mil devotos e outros 5 mil acompanharam com orações. Depois da procissão, a peça foi dividida em 16 mil pedaços, que foram entregues aos fiéis.

A medição foi realizada na presença de um topógrafo, engenheiros, bombeiros, policiais, fotógrafos, além de moradores da cidade.

O resultado do Guinness, que coloca o Brasil como o primeiro país do mundo a confeccionar um manto gigante, foi publicado em junho. Porém, foi só em 8 de julho, que o anúncio foi feito oficialmente no Santuário de Nossa Senhora dos Navegantes.

Em sua página no Facebook, o Santuário explicou que o manto gigante “foi pensado com muito carinho para a procissão terrestre” de Nossa Senhora dos Navegantes, “para que os devotos pudessem carregar e se sentirem mais próximos do aconchego de Maria”.

A iniciativa, porém, não se encerrou neste ano. A partir de agora, o Santuário de Nossa Senhora dos Navegantes terá um manto gigante todos os anos, para que os devotos possam seguir em procissão cobertos pela Virgem Maria.

Fonte: Aleteia via ACI Digital

Hoje é celebrada Santa Maria Goretti, a doce mártir da pureza

Hoje é celebrada Santa Maria Goretti, a doce mártir da pureza

Neste dia 6 de julho é celebrada a festa de Santa Maria Goretti, a menina de onze anos que foi morta com 14 facadas por resistir a um estupro e que, antes de sua morte, perdoou seu assassino. O Papa Pio XII a definiu como “pequena e doce mártir da pureza”.

Maria nasceu em 1890, em Corinaldo, província de Ancona, Itália. Era filha de Luigi Goretti e Assunta Carlini, sendo a terceira de sete filhos. No dia seguinte ao seu nascimento, foi batizada e consagrada à Virgem.

Sua família era pobre em bens materiais, mas rica de fé e virtudes que cultivavam com a oração comum, a recitação diária do Santo Rosário, a comunhão e a Missa dominical.

Quando tinha apenas 11 anos, foi apunhalada por Alessandro Serenelli ao resistir a ser violentada. Ela foi levada para o hospital e antes de morrer conseguiu receber a comunhão e unção dos enfermos. Partiu para a Casa do Pai em 6 de julho de 1902.

Quando Alessandro saiu da prisão, foi procurar a mãe de Maria, a menina que o tinha perdoado.

São João Paulo II, em 2003, ressaltou que “Marietta, assim era chamada familiarmente, recorda à juventude do terceiro milênio que a verdadeira felicidade exige coragem e espírito de sacrifício, rejeição de todo compromisso com o mal e disposição para pagar com a própria vida, mesmo com a morte, a fidelidade a Deus e aos seus Mandamentos”.

“Hoje exaltam-se, muitas vezes, o prazer, o egoísmo ou até a imoralidade, em nome de falsos ideais de liberdade e de felicidade. É preciso reafirmar com clareza que a pureza do coração e do corpo deve ser defendida, porque a castidade ‘guarda’ o amor autêntico”, acrescentou.

Fonte: ACI Digital

Como na Copa, na sociedade é preciso ter fidelidade nos objetivos, afirma Bispo

Como na Copa, na sociedade é preciso ter fidelidade nos objetivos, afirma Bispo

Em época de Copa do Mundo, quando muitos param para acompanhar a competição, o Arcebispo de Uberaba (MG), Dom Paulo Mendes Peixoto, recordou que assim como no Mundial é preciso ter fidelidade nos objetivos na sociedade, sobretudo nas eleições.

Dom Paulo observou como, “para ver o Brasil jogar tudo para, as pessoas torcem, vibram, às vezes ficam decepcionadas, falam mal, mas tudo é festa”. E, nesse contexto, “até os problemas e os políticos do país ficam de lado”.

Entretanto, questiona-se: “o futebol vai mudar o Brasil, alguma coisa nova deverá acontecer?”. “Pelo que vemos tudo não passa de competição, de euforia sem melhorar as condições de vida das pessoas”.

Em relação ao Brasil, o Prelado indicou que “o brasileiro vive incomodado com o estado das coisas no país”. “Existem muitas formas de infidelidade, de práticas imorais na administração pública causando prejuízo para a coletividade, legando um mundo que dificulta a vivência das pessoas”, assinalou.

“Mas – ressaltou – tudo pode ser diferente a partir da retomada de objetivos na construção do Estado Brasileiro”.

Segundo Dom Paulo, “no entender das Palavras de Jesus Cristo, vence quem joga com determinação e com esperança de conseguir vencer”. Nesse sentido, recordou que no “itinerário do Reino de Deus” uma “Boa Nova” é construída “com compromisso de fidelidade voltada para os seus objetivos”.

“É um caminho de libertação onde a alegria da vitória não é superficial e sem consequências positivas para a estabilidade da comunidade”, acrescentou.

No entanto, lembrou que “não é possível conseguir vitória sem sacrifício, seja no jogo de futebol, como também em qualquer outro tipo de enfrentamento”.

Além disso, indicou ser “interessante” que “as grandes conquistas podem vir de ‘fracos’ pequenos e simples”, como mostra Jesus, “Filho de Carpinteiro, da classe pobre, sem influência, mas dotado de postura, de determinação e consciente de sua missão”.

“Isso pode ser importante na vida de um jogador da Copa, porque joga com garra, mas também sabe sofrer numa possível derrota”, assinalou.

Por fim, o Arcebispo expressou que “é possível conquistar a vitória”. Porém, no Brasil, “muita coisa está por ser feita”.

“Podemos construir um país melhor, sem tanta pobreza e menos violência. Mas temos que atuar nos momentos de decisão. Um deles é o voto consciente, com nossas mentes fixadas na esperança. Nem tudo está perdido e muito progresso ainda pode acontecer”, completou.

Fonte: ACI Digital