Compreender o Ano Litúrgico para viver melhor a fé

AnoLiturgico

Todos os anos, no primeiro domingo do Advento, quatro semanas antes do Natal, iniciamos um novo Ano Litúrgico, ele é como um calendário que contém os acontecimentos da História da Salvação, e ao contrário do que muitos pensam, ele não coincide com o ano civil, que começa no dia 1 de janeiro e termina no dia 31 de dezembro. Por isso caro leitor, atenção!

Este Calendário Litúrgico foi criado para acompanharmos através das leituras dos textos bíblicos (Evangelhos e outros livros) a vida de Jesus, nascimento até a ascensão aos céus, em ordem cronológica (dia, mês e ano). Deste modo, ouvimos nas celebrações textos que falam do anúncio do Messias, da sua encarnação, de seu ministério público, seus discursos, as parábolas até culminarmos com a morte e ressurreição nos preparando para sua segunda vinda, marcada pela data de Cristo Rei do Universo que encerra o ano litúrgico.

O Ano Litúrgico é dividido em A, B e C, totalizando três anos. A ideia desta distribuição de textos bíblicos ao longo desse período tem como objetivo a leitura de toda a Bíblia, portanto, ao participar da Missa todos os dias por três anos você terá lido a Sagrada Escritura inteira, sabia disso?

Você deve estar se perguntando o que significam essas letras, pois bem, o Rito Romano, utilizado nas celebrações da Igreja Católica possui um conjunto de leituras bíblicas que se repetem a cada três anos perpassando os domingos e as solenidades. A cada ano, a liturgia das celebrações segue uma sequência de leituras próprias:

  • Ano “A”: Evangelho de São Mateus;
  • Ano “B”: Evangelho de São Marcos;
  • Ano “C”: Evangelho de São Lucas.

O Evangelho de São João é reservado para as ocasiões especiais, sobretudo as grandes Festas e Solenidades, para este evangelho não existe um ano litúrgico.

Vai aqui um passo bem simples para calcular o ano litúrgico, apenas somando os algarismos do ano. O ano em que a soma dos algarismos for um número múltiplo de três é do ciclo C. Vejamos o exemplo: “2016 = 2+0+1+6= 9”. Nove é múltiplo de três, então em 2016, o ano litúrgico será ano C. Assim, este ano de 2015 é o ciclo B, e o ano de 2014 foi o ano litúrgico A. É bem fácil.

Vale lembrar também, que o Ano Litúrgico é composto por “tempos litúrgicos”, cada um com seus ensinamentos, a saber:

  • Tempo do Advento: fala do anúncio da vinda do Messias e promove uma esperança de salvação nos cristãos;
  • Tempo do Natal: apresenta a encarnação do Filho de Deus e propõe uma fé de acolhida alegre ao Salvador;
  • Tempo Comum: trata do anúncio do Reino dos Céus e motiva a escuta da Palavra;
  • Tempo da Quaresma: manifesta a misericórdia de Deus e convida a penitência e conversão;
  • Tempo Pascal: indica a Ressurreição e a vida conduzindo os fiéis a alegria em Cristo Ressuscitado.

Aproximamo-nos do Tempo do Advento, que tem duração de quatro semanas antes do Natal e marca também, o início de um novo Ano Litúrgico (Ano C). Este tempo é representado pela grande expectativa da vinda Messiânica e fomenta esperança de um tempo novo para os filhos de Deus.

Um símbolo tradicional desse momento, é a Coroa do Advento, com quatro velas a serem acesas a cada Domingo. Nas leituras notaremos a forte presença dos personagens bíblicos: Profeta Isaías, João Batista e a Virgem Maria.

 Somos convidados a nos sensibilizar as dificuldades que Maria teve de enfrentar durante a sua gravidez e o desafio da Sagrada Família para encontrar um local onde Jesus pudesse nascer, ofertando nosso coração como presépio ao Salvador, estabelecendo em nossas vidas um tempo de alegria anunciando que “o Verbo Divino se fez carne e habitou entre nós” (cf. João 1, 14a).

Joaquim Bontorin

Fonte: Revista A Palavra: a igreja ensina, pág 11, ed. 55, Nov/2015.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *