Mensagem de Natal do Frei Paulo

Queridos (as) irmãos (as), tivermos em mês de novembro 3 momentos marcantes:

1) O ¨Fechamento da Porta Santa¨ a nível de Forania, o celebrante principal foi Frei Daniel, Padre Pedro que é responsável pela nossa Forania, juntamente com os frades e vários Diáconos de R. Queimado, St. Amaro concelebraram com o povo de Deus esse momento tão marcante;

2) A Igreja particular da Arquidiocese de Florianópolis celebrou dignamente essa Ação de Graças com o encerramento do Ano da Misericórdia, no Estádio Orlando Scarpelli;

3) A Assembléia Paroquial Celebrativa ocorrida no dia 05, revelou a todos a unidade entre as 18 comunidades, momento forte entre nós que revelou o rosto da nossa paróquia;
Mais uma vez somos convidados a nos aproximarmos do menino do presépio. Mais uma vez, vamos celebrar O Natal: Festa da proximidade de Deus. Sim! Em Jesus, Deus se torna próximo de nós. Mais que isso, se faz um de nós. É Ele o “Deus conosco”, o “Emanuel”.

Santo Agostinho enfatiza: “O verbo se fez carne. Deus se fez criança, e uma criança que não consegue, nem sequer falar! A palavra Eterna assume nossa fragilidade, assume nossa pobreza”… É estranho pensar que o Senhor da vida, o criador, tenha-se feito criatura… aquele que tudo pode, torna-se extremamente dependente, a ponto de como tantos em nosso mundo, não ser acolhido pelos seus semelhantes.

No Natal, segundo a cultura consumista, somos ensinados a olhar para o céu esperando um velhinho gordo vir de trenó e descer pelas chaminés para deixar seus presentes. Mas, as escrituras nos convidam a olharmos para a terra. É aí, na pobreza de um estábulo que recebemos um presente maravilhoso, que a nenhum outro se iguá-la. Diz o anjo aos pastores: “E isto vos servirá de sinal: Encontrareis um recém nascido envolto em faixas”…

presepio-natal

O Natal tem o cheiro da nossa humanidade, tem frio da noite, tem o brilho das estrelas, o calor dos animais, tem a simplicidade dos pastores e também o amor-serviço de Maria e José. Ah! E para os corações sensíveis, tem o cantar dos anjos desejando paz na Terra, aos homens de boa vontade!

Estamos realizando a restauração de todo o complexo do prédio ao lado da Igreja (Restaurante e salão), queremos pedir sua colaboração, entre em contato conosco e veja como pode ajudar. Desde já agradeço, ¨não deixem os frades sonharem sozinhos, vamos sonhar juntos e já será uma realidade entre nós¨.

Enfim, contemplando o presépio, nos arriscamos a dizer que a Festa do Natal é realmente a nossa festa. A encarnação, fala não só da grandiosidade do amor de Deus, mas também, do quanto somos preciosos para Ele. Fala-nos, que nunca devemos deixar de valorizar a nossa humanidade, por mais que as sombras de nossas fraquezas, obscureçam o nosso valor. Carregamos um tesouro em vasos de barro… E o Senhor nos procura, justamente, no coração o tesouro de sermos seus filhos e filhas amados… resgatados pela cruz e atraídos por um singelo menino, deitado nas palhas de uma manjedoura.

Se compreendermos tudo isso… aí sim, teremos um Feliz Natal! FREIPAULO
Frei Paulo Cézar Magalhães Borges, OFM

Pároco

Share

O pedido e o louvor para que Deus renove suas maravilhas em favor da humanidade

Falando sobre o Sacrossanto Mistério de Eucaristia a Sacrosanctum Conciliumdo Vaticano II ensina que a Missa é “Sacrifício Eucarístico do Corpo e Sangue de nosso Salvador” (cf. SC 47). “Por ele, perpetua pelos séculos, até que volte, o Sacrifício da Cruz, confiando destarte à Igreja, Sua dileta Esposa, o memorial de Sua Morte e Ressurreição” (SC 47). Portanto, sacrifício de ação de graças, perpetuação do Sacrifício da Cruz e memorial de Sua Morte e Ressurreição.

O que é mesmo ação de graças? São Paulo diz que devemos em tudo dar graças, pois esta é a vontade de Deus a vosso respeito, em Cristo Jesus (cf. 1Ts 5,18). Ação de graças, oração eucarística ou, simplesmente, eucaristia é a tradução da palavra hebraica berakah.

Para compreendermos o que seja berakah ou ação de graças, convém recorrermos a uma passagem do livro do Gênesis. No capítulo 24 lemos uma página onde encontramos uma oração eucarística. Sara havia morrido. Abraão, avançado em idade, preocupado com o futuro de seu filho Isaac, pediu, ao servo mais antigo da casa que fosse à terra dos seus antepassados buscar uma jovem que se tornasse esposa do seu filho Isaac. O servo partiu com as mãos cheias das riquezas de Abraão. Mas, como haveria ele de reconhecer a jovem que fosse a escolhida? Pediu, então, que Deus lhe manifestasse a sua bondade, apresentando-lhe um sinal pelo qual reconhecesse a donzela. O sinal aconteceu: a jovem dando de beber do seu cântaro ao servo e a todos os camelos.

Qual a reação do servo de Abraão diante da manifestação da bondade de Deus? “O servo inclinou-se diante do Senhor. “Bendito seja, exclamou ele, o Deus de Abraão, meu senhor, que não faltou à sua bondade e à sua fidelidade. Ele conduziu-me diretamente à casa dos parentes de meu senhor” (Gn 24,26-27). Eis uma ação de graças, uma oração eucarística ou berakah.

Ela consta dos seguintes elementos. Antes de tudo, temos um fato maravilhoso,uma bênção, um benefício, uma graça alcançada, manifestação da bondade de Deus. Depois, a admiração. O servo se inclina diante do Senhor. Esta admiração manifesta-se pela exclamação-aclamação: “Bendito seja o Senhor, o Deus de Abraão, meu senhor”. Segue-se o motivo, ou a razão da admiração e da exclamação. “Ele não faltou à sua bondade e à sua fidelidade”. Proclama, então, o fato, narra o acontecido, o benefício, a bênção recebida.

Temos, pois, o fato maravilhoso, a admiração, a exclamação-aclamação e a proclamação dos benefícios recebidos. Na ação de graças temos, em geral, ainda o pedido, para que Deus renove suas maravilhas, e o louvor final. Uma oração com tais elementos é chamada berakah e, em português, ação de graças ou oração eucarística, ou, simplesmente, eucaristia. Berakah significa ao mesmo tempo louvor, bendição, elogio, agradecimento, reconhecimento e confissão. Constituem atitudes fundamentais do ser humano diante do Deus Criador e Pai cheio de bondade.

A Oração eucarística da Missa compreende todos esses elementos, sendo que o fato maravilhoso é o mistério pascal de Cristo, a máxima bênção de Deus à humanidade. Temos nela a admiração que brota da apresentação dos dons, a narração do fato maravilhoso, a Morte e Ressurreição do Senhor e o pedido para que Deus renove suas maravilhas em favor da humanidade. E tudo se conclui com o louvor final: Por Cristo, com Cristo, em Cristo, a vós, Deus Pai todo-poderoso, na unidade do Espírito Santo toda a honra e toda a glória, agora e para sempre. Amém.

Share
O Simbolismo da Coroa do Advento

O Simbolismo da Coroa do Advento

A Coroa de Advento possui um sentido religioso e cristão. Como vimos anteriormente, sua origem deu-se num contexto social no qual a vida humana estava fortemente ameaçada.
Por se tratar de uma linguagem simbólica, a Coroa de Advento com seus elementos podem ser interpretadas de diversas formas. Por isso aqui nós vamos interpretá-la de acordo com a nossa realidade climática, cultural e eclesial. Mas, tendo em vista que a celebração da Coroa de Advento, desde suas origens, possui um forte apelo de compromisso social, de promoção das pessoas pobres e marginalizadas. Por isso essa celebração deverá comprometer-nos com as realidades ao nosso redor que ameaçam a vida humana.
Neste sentido, podemos dizer que a Coroa de Advento constitui um hino à natureza que está constantemente se renovando; um hino à luz que vence as trevas; um hino a Cristo, a verdadeira luz, que vem para vencer as trevas do mal e da morte. Assim, a mensagem da Coroa de Advento é percebida a partir dos simbolismo de cada um de seus elementos, como vamos ver agora.
O CÍRCULO
Primeiramente, a coroa tem a sua forma, que é a forma circular. O círculo é símbolo da eternidade, da unidade, do tempo que não tem início nem fim, de Cristo, Senhor do tempo e da história. O círculo, em sua forma, também nos lembra o sol, que favorece a vida para todas as criaturas, ele fera a vida. E este sol, para nós cristãos, também é símbolo de Cristo, o sol que ilumina a nossa vida.

OS RAMOS VERDES

Os ramos verdes que enfeitam o círculo geralmente são de cipreste, de pinus, de abeto. Ao contrário das outras árvores, estes que acabamos de falar, não perdem suas folhas durante o inverno, diferente das demais árvores. É o caso da nossa araucária, mais no Sul do Brasil. Todas as outras árvores perdem as suas folhas e ficam só com os galhos, parecendo quase mortas. Por isso, os ramos verdes dessas árvores, são sinais de persistência, de esperança, de imortalidade, de vitória sobre a morte.
AS VELAS
Quanto as velas… As quatro velas indicam as quatro semanas do Tempo do Advento, as quatro fases da História da Salvação preparando a vinda do Salvador. Indicam também os quatro pontos cardeais, a Cruz de Cristo, o Sol da Salvação, que ilumina todo o mundo envolto em trevas. Assim, o acendimento das velas, uma a cada semana, significa a progressiva aproximação do nascimento de Jesus, a progressiva vitória da luz sobre as trevas.
E quanto as cores das velas? Descubra a resposta conferindo o vídeo abaixo.
 
Share