Ladrões desistem de roubar ônibus com romeiros de Aparecida

Ladrões desistem de roubar ônibus com romeiros de Aparecida

O motorista chegou a ser rendido e o ônibus foi desviado para um matagal em plena madrugada

Um ônibus que seguia de Aparecida (SP) para Cascavel (PR) sofreu uma tentativa de assalto na madrugada de segunda-feira, 15 de janeiro, mas os ladrões desistiram da ação após descobrir que os passageiros eram romeiros que voltavam do Santuário da padroeira do Brasil.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o veículo seguia pela BR-369, no Paraná, quando foi abordado por cinco assaltantes, por volta das 4h, próximo a um trevo de acesso à cidade de Mamborê.

Os ladrões obrigaram o motorista a conduzir o ônibus por uma estrada rural, onde o veículo ficou atolado.

Logo após, a polícia foi acionada e se dirigiu ao local para ajudar o motorista a retirar o veículo do atoleiro. Além disso, as vítimas foram orientadas a registrar um boletim de ocorrência na Delegacia de Mamborê.

Para a PRF, provavelmente os ladrões tinham como alvo algum ônibus que levasse passageiros que iriam fazer compras no Paraguai.

 

Fonte: Aleteia

ACI Digital

Share
Pep Guardiola: “O mais importante na vida é a família”

Pep Guardiola: “O mais importante na vida é a família”

O técnico do Manchester City incentivou um dos jogadores mais importantes do time a dar um tempo no futebol para cuidar do filho prematuro

A vida de uma pessoa é mais importante que uma partida de futebol. Quem está por trás desta linda lição é um dos melhores técnicos do mundo: Pep Guardiola.

O meia espanhol David Silva, um dos jogadores mais importantes do Manchester City – time que lidera o campeonato inglês – acaba de se tornar pai de Mateo, um menino nascido de forma prematura. O bebê está entre a vida e a morte.

O anúncio de Pep

Desde que foi informado sobre o estado de saúde do filho do jogador, Pep Guardiola quis tornar pública, em uma coletiva de imprensa, uma atitude radical tomada no começo de janeiro: “David Silva deixará de jogar por tempo indeterminado devido a assuntos pessoais. Não sei quando ele se reintegrará à equipe. A vida pessoal é mais importante que qualquer coisa”, disse o técnico, que não entrou em detalhes sobre a vida particular do atleta e o sofrimento que ele está enfrentando.

O tuíte de Silva

No dia seguinte, o jogador explicou as verdadeiras razões de seu afastamento em uma publicação no Twitter que deixava entrever a dor de um homem dividido entre a felicidade de ser pai e a impotência diante do estado de saúde do filho:

“Quero agradecer a todos pelas demonstrações de carinho recebidas nestes dias, em especial aos meus companheiros, por compreenderem a situação. Também compartilhar com vocês o nascimento de meu filho Mateo, de forma prematura extrema e que está superando seus primeiro dias, graças à atenção da equipe médica”.

Primeiro, a família

Em 2012, Pep Guardiola decidiu se afastar durante um ano do mundo do futebol para se dedicar à mulher e aos filhos.

Por isso, provavelmente não seja por acaso que, em 2 de janeiro, depois da vitória de 3 a 1 do Manchester City sobre o Watford, declarasse – pressionado pelos jornalistas que queriam entender o que estava por trás das ausências de Silva nos últimos jogos – estas palavras simples, mas sinceras: “Que David saiba que o mais importante nesta vida é a família”.

A lembrança do pequeno Bradley

A história do pequeno Mateo recebeu um grande destaque na mídia não só pelo fato de David Silva ser quem é: vencedor de um mundial de futebol e duas Eurocopas com a seleção espanhola. Outro motivo que chama a atenção para o caso é a lembrança do pequeno Bradley, o torcedor do Sunderland de seis anos, que morreu no ano passado por causa de um neuroblastoma.

A história do pequeno torcedor e a amizade dele com Jermaine Defoe (ex-atacante do Sunderland e atualmente no Bournemouth), que permaneceu ao lado do menino até o fim, comoveu a Inglaterra e o mundo inteiro.

Fonte: Aleteia

Share
7 dicas para elaborar e alcançar suas metas em 2018

7 dicas para elaborar e alcançar suas metas em 2018

Na virada de ano a conversa é sempre a mesma: metas para o ano novo.  Uns se lamentam porque não conseguiram cumprir as metas do ano que terminou, e, com isso estão desmotivados a traçar novos objetivos para o ano que começa; outros dizem que traçar metas é desnecessário, pois não ajuda em nada e que é uma perca de tempo; e há aqueles que conseguiram realizar alguns dos seus objetivos e que estão pensando em como manter o sucesso com suas novas metas.

Independentemente de qual grupo você hoje se encaixe hoje, uma coisa é preciso saber: a meta é o primeiro passo para transformar um sonho em realidade. E quem não tem um sonho para realizar?! Mas, há quem pense ser um pouco complicado fazer um planejamento, por isso nós queremos te ajudar.. Acompanhe aqui sete dicas para você elaborar e alcançar suas metas em 2018.

1. Faça uma leitura da sua vida

Pense em tudo o que você já realizou na sua vida e no que gostaria de realizar. Pense na pessoa que você se tornou, nos amigos que conquistou. Reflita: Estou satisfeito com quem sou para mim mesmo e para os outros? Tenho um bom relacionamento com minha família, meus amigos e colegas de trabalho? Há algum hábito que preciso mudar? Tenho cuidado da minha saúde? Tenho dedicado um tempo para Deus?

Refletir essas questões é importante para você descobrir ou determinar as mudanças que precisa realizar em sua vida.

2. Determine suas metas para 2018

Seguindo essa linha de reflexão que você fez sobre a sua vida, peça o auxílio da graça de Deus e procure fazer uma lista do que você pretende mudar ou alcançar no ano novo. Separar por categorias pode lhe ajudar a organizar melhor, por exemplo: metas pessoais, metas profissionais e metas espirituais.

Nas metas pessoais, pense no que você pode melhorar pessoalmente e em seus sonhos (viagem, formar uma família, estudar). Nas metas profissionais, questione-se: estou satisfeito com meu trabalho? Se não estiver, mudança de emprego ou redirecionamento de carreira pode ser uma de suas metas em 2018. Mas, se a sua resposta for “gosto da empresa onde trabalho, porém não estou satisfeito com a atividade que lá exerço”, então sua meta pode ser: mudar minha função na empresa. E, sobre as metas espirituais, responda para si mesmo: o que tenho feito em minha vida agrada a Deus? Tenho sido um autêntico cristão, que evangeliza e que pratica a caridade? Uma meta para o ano novo pode ser, por exemplo, dedicar um tempo para obras de caridade e participar mais ativamente da Igreja.

3. Seja realista

Trace metas baseadas na sua realidade. Liste aquilo que você sabe que é possível cumprir. As metas precisam ser mensuráveis, realizáveis e relevantes. Pergunte-se: tenho recursos financeiros para realizar essa meta? O prazo de um ano é suficiente para alcançá-la?

4. Determine objetivos específicos

Para cada meta determinada para o ano novo, você precisa também anotar quais são os objetivos específicos que te farão alcançar essas metas. Por exemplo, se você colocou na sua lista “cuidar melhor da saúde”, seus objetivos específicos podem ser, por exemplo: consulta médica preventiva ou com um especialista, praticar esporte, rever a alimentação.

É importante também você determinar um prazo para a execução de cada um desses objetivos.

5. Defina suas prioridades

Num determinado momento você poderá se deparar com vários objetivos que devem ser realizados quase que ao mesmo tempo. Para resolver isso, determine qual é o mais urgente ou o mais necessário e tente encaixar o outro objetivo num outro período mais tranquilo.  Mas lembre-se: se você colocou aquele objetivo na sua listagem é porque ele é necessário, portanto não deixe de fazê-lo.

6. Leia suas metas diariamente

Determine um horário para que todos os dias você leia suas metas. Assim estará sempre ciente do que precisa realizar em sua vida. Essa leitura pode ser pela manhã, ao acordar, ou à noite, antes de dormir. Faça seu momento de oração, leia suas metas e aproveite para pedir a Deus que lhe ajude a fazer tudo o que é necessário para realizá-las.  A leitura diária das metas e dos seus objetivos específicos te ajuda a organizar melhor o seu dia, ou o dia seguinte caso faça a leitura à noite.

7. Acompanhe seu progresso

É muito comum as pessoas se desmotivarem ao longo do ano por não perceberem seus avanços. Para evitar isso, anote tudo numa agenda ou caderno. Cada objetivo que você alcançou, anote. Isso serve de estímulo para continuar prosseguindo. E se ainda assim você se sentir desmotivado, peça a Deus a graça de se manter firme em seus propósitos.

 

Por: Dominus Comunicação

Share
Papa Francisco fez visita-surpresa, hoje, a hospital infantil em Roma

Papa Francisco fez visita-surpresa, hoje, a hospital infantil em Roma

O Hospital Pediátrico Bambino Gesù é conhecido como o “hospital do Papa”

OPapa Francisco fez uma visita-surpresa nesta sexta-feira, 5 de janeiro, ao Hospital Pediátrico Bambino Gesù, popularmente conhecido como o “hospital do Papa“, em Torre di Palidoro, a cerca de 30 quilômetros ao norte de Roma.

A Santa Sé informou que esta visita foi uma concretização da iniciativa Sextas-Feiras da Misericórdia, lançada por Francisco durante o recente Jubileu da Misericórdia.

O Papa visitou diversos departamentos do hospital, conversou com crianças internadas, pais, médicos e funcionários.

Sobre o “hospital do Papa”

O Hospital Bambino Gesù existe desde 1869 e tem 4 sedes em Roma e nos seus arredores. Dispõe de 600 leitos e conta com cerca de 2.600 médicos, pesquisadores, enfermeiros, técnicos e funcionários. Mais de 1,5 milhão de crianças passam pelas suas dependências anualmente. Trata-se, nada menos, que do maior hospital e centro de pesquisa pediátrica da Europa.

unidade em Torre di Palidoro, visitada hoje por Francisco, foi criada em 1978 por iniciativa do Papa Paulo VI, visando expandir os atendimentos. O local se situa em Roma, em uma área extraterritorial administrada diretamente pelo Vaticano, a exemplo das outras três unidades.

Tradicionalmente especializado em poliomielite, o hospital também conta com departamentos para ortopedia, diabetes, oftalmologia, otorrinolaringologia e tratamento de doenças cardíacas, doenças endócrinas e obesidade genética, além de diversas especialidades cirúrgicas e atividades de neurorreabilitação.

As instalações da unidade possuem pronto-socorro e 122 leitos para os enfermos. Há leitos especificamente dedicados a reanimação, reabilitação e neurorreabilitação. A estrutura ainda inclui salas de cirurgia, de hemodinâmica e serviços de diagnóstico laboratorial e por imagens.

Fonte: Aleteia

Share
Inferno, Purgatório e Céu: as mais fascinantes e controvertidas crenças da Igreja Católica

Inferno, Purgatório e Céu: as mais fascinantes e controvertidas crenças da Igreja Católica

Reflexões do bispo auxiliar de Los Angeles, Robert Barron

É difícil entender a existência de um Deus infinitamente bom e um inferno também eterno. O bispo auxiliar de Los Angeles, Robert Barron, um dos líderes mais tecnológicos que a Igreja tem, conhecido por sua forte presença nas redes sociais, admite que “muitos cristãos que aceitam com agrado as doutrinas sobre o céu e o inferno acham os ensinamentos sobre o purgatório extravagantes e arbitrários, sem fundamento bíblico”.

“Deus não envia ninguém ao inferno, mas as pessoas escolhem ir para lá livremente. As portas do inferno estão sempre fechadas a chaves e por dentro”, disse o escritor Lewis. “Se há seres humanos no inferno, é porque eles insistiram claramente nisso”, escreve Barron, no livro Catolicismo(recentemente lançado em espanhol). O autor é doutor em Teologia, mestre em Filosofia e bispo auxiliar desde 2015.

Monsenhor Barron considera que “não podemos declarar com total certeza que alguém – nem sequer Judas ou Hitler – tenha escolhido trancar definitivamente a porta ao amor divino”. E prossegue: “A liturgia nos motiva a rezar por todos os mortos e, como a lei da oração é a lei da fé, precisamos nos agarrar à esperança da salvação”.

Purgatório

Para muitos cristãos, o purgatório aparece como um resíduo da Idade Média, um ensinamento supersticioso e supérfluo, sem claro suporte bíblico. Segundo o Catecismo da Igreja Católica, “os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas imperfeitamente purificados, mesmo conhecendo sua eterna salvação, depois da morte passam por uma purificação, a fim de obter a santidade necessária para entrar na alegria do céu. A Igreja chama de ‘purgatório’ esta purificação final dos eleitos” (CIC 1030-1031).

Sem dúvida, a palavra purgatório não está na escritura, “mas também não estão Encarnação e Trindade”, declara Barron. No entanto, pode-se argumentar que as sementes da ideia do purgatório estão sim no livro de Macabeus (II Macabeus 12, 44-46).

O Céu

O Céu nunca teve boa fama entre os pensadores. Marx e Freud apontam a existência do céu como “sinal de ingenuidade”.

O bispo Barron acredita que “parte da inteligência da tradição católica reside no fato de não  rejeitar nada”. Tudo o que se trata em um compêndio sobre Catolicismo (Deus, Jesus, Igreja, Sacramentos, Liturgia…) “está aí para nos levar para o Céu”, recorda o bispo norte-americano.

O Céu é, portanto, o destino e o sentido que alimenta tantos crentes. Ele tem sido imaginado de muitas maneiras: vida, luz, paz, banquete de núpcias, vinho do Reino, casa do Pai, Jerusalém celeste, paraíso (CIC 1027).

“Muitos cristãos são mais platônicos do que bíblicos ao conceber o fim da vida espiritual com a saída deste mundo e a partida para o céu”, aponta Barron. Ele ainda sugere “pensar no céu como uma espécie de jogo”, com muitos participantes em torno de um objetivo comum e com todas as suas capacidades e energias totalmente empenhadas.

 

Fonte: Aleteia

Share
5 curiosidades sobre o presépio: origem, significado e devoção

5 curiosidades sobre o presépio: origem, significado e devoção

No tempo do Natal é comum, por onde andamos, encontramos lindos presépios. Lojas, shoppings, igrejas e também nas casas é comum que os católicos – e até quem não é cristão – preparem um lugar especial para montar a cena no nascimento do Menino Jesus. No entanto, apesar de ser uma tradição tão forte, são poucos os que conhecem como foi que ela surgiu, qual seu significado e devoção. Por isso, vamos olhar um pouco para o passado para contar essa história que é cheia de curiosidades.

O primeiro presépio

Conta-se que o primeiro presépio foi montado em 1223, na Itália. E aqui revelamos a primeira curiosidade: seu autor foi São Francisco de Assis. O Santo utilizou peças confeccionadas em argila para representar os personagens. Além disso, segunda curiosidade, ele ilustrou a cena com animais vivos: um boi e um jumento.

Significado do presépio

Mas como foi que São Francisco teve essa ideia tão significativa para os cristãos? A história narra que ele queria encontrar uma forma mais simples de explicar aos camponeses de sua região como foi o nascimento de Jesus, visto que eles não conseguiam compreender a narrativa bíblica. Foi então que ele decidiu que a celebração do nascimento, naquele ano, não aconteceria na Igreja, mas sim – terceira curiosidade – num bosque. São Francisco pensou cuidadosamente em cada personagem, de maneira que até mesmo a participação dos animais na cena tem uma explicação.

Os personagens do presépio

Além de São José, pai adotivo de Jesus, da Virgem Maria, a mãe santíssima, do Menino Jesus, cuja imagem deve ser coloca no presépio apenas na noite de Natal – essa é a quarta curiosidade – e dos três Reis Magos, que presenteiam o menino com ouro, incenso e mirra, São Francisco incluiu no presépio mais alguns personagem. São eles: os pastores, que simbolizam a simplicidade do povo e os Anjos, que anunciam e atraem os pastores para o local no nascimento do Menino Jesus.

Entre os animais que compõem a cena do presépio, São Francisco também escolheu ovelhas e um galo. Por que? A quinta curiosidade que revelamos, então, é o significado de cada um dos animais: o jumento simboliza a humildade dos pagãos; o boi representa a bondade, a força pacífica e o povo hebreu; o galo anuncia a boa nova da chegada de Jesus; e as ovelhas querem nos dizer que Jesus veio a este mundo para sacrificar-se por nossa salvação.

Aquele Natal foi como São Francisco queria: inesquecível. Marcou tanto a história que até hoje não há Natal sem presépio.

Já montou o seu?

 

 

Dominus Comunicação

Share
Papa festeja aniversário de 81 anos com pizza

Papa festeja aniversário de 81 anos com pizza

“Uma alma alegre é como uma terra boa que faz crescer bem a vida”

O Papa Francisco completou 81 anos este domingo. E a festa, com pizza, foi na parte da manhã, na Sala Paulo VI, com as crianças assistidas no Dispensário Pediátrico Santa Marta.

“A alegria das crianças… A alegria das crianças é um tesouro. As crianças alegres”, exclamou o Papa, falando de improviso aos voluntários, pais e crianças presentes.

“E devemos fazer de tudo para que elas continuem a ser alegres, porque a alegria é como uma terra boa. Uma alma alegre é como uma terra boa que faz crescer bem a vida, com bons frutos. E por isto se faz festa: se busca sempre a proximidade do Natal para nos reunirmos, para fazer esta festa para eles”.

O Papa deu alguns “conselhos aos pais, pedindo inicialmente para que a alegria das crianças fosse protegida:

“Não entristeçam as crianças. Quando as crianças veem que existem problemas em casa, que os pais brigam, sofrem.  Não entristeçam as crianças. Elas devem crescer com alegria”.

O segundo conselho, para que as crianças possam crescer bem, é fazer com que falem com os avós, “porque eles têm memória, têm raiz e serão os avós a dar as raízes às crianças”:

“Por favor – pediu – que não sejam crianças sem raízes, sem memória de um povo, sem memória da fé, sem memória de tantas coisas que fizeram a história, sem memória de valores. E quem ajudará as crianças a fazer isto? Os avós”.

Por fim, o terceiro conselho: ensinar as crianças a falar com Deus. “Que aprendam a rezar, a dizer aquilo que sentem no coração”.

“Alegria, falar com os avós, com os idosos, e falar com Deus. De acordo? Todos de acordo? Desejo a vocês um lindo dia, com muita festa. E comam 4 metros de pizza: comam bem, que vos fará bem, faz crescer. E, avante! Obrigado! Obrigado!”

Fonte: Aleteia

Share
Retiro da Boa Morte: renovação espiritual por meio da confissão e do desapego material

Retiro da Boa Morte: renovação espiritual por meio da confissão e do desapego material

Falta pouco para 2017 chegar ao fim, e este é um bom momento para rever tudo o que foi feito durante o ano e começar a planejar 2018. O novo ano chega com aquele sentido de recomeço e traz no peito a expectativa da renovação de planos, desejos e metas. Por isso, muitas pessoas escolhem esta época do ano para fazer uma renovação pessoal e material – período propício para organizar a vida e desapegar de tudo aquilo que não serve mais ou que precisa de uma nova destinação.

No campo da fé, muitos leigos e leigas têm aderido ao ‘Retiro da Boa Morte’. Uma prática espiritual de preparação para a confissão, onde se faz um exame de consciência, uma boa revisão da vida e recebe do sacerdote o sacramento da confissão.

Já na parte prática da vida – exterior –, a pessoa é convidada a olhar as gavetas, armários, caixas, guarda-roupas e retirar tudo aquilo que não tem mais utilidade. Depois separar o que pode ser doado e o restante jogar no lixo.

“Deus ama quem dá com alegria” (2Cor 9,7).

Essa prática não é somente jogar fora objetos e materiais que não tem mais utilidade mas, sim, fazer uma verdadeira “limpeza” na alma, deixando assim o interior e exterior em ordem para o dia da morte. Esse método é baseado na pedagogia de Dom Bosco que dizia: “Temos de estar preparados, a todo instante, pois não sabemos o momento de nossa morte. E quando morrermos, como as pessoas vão encontrar nossas coisas? Vão achar tudo bagunçado? Encontrarão coisas vergonhosas?”.

A motivação em realizar a prática do Retiro da Boa Morte é que para viver bem é preciso estar preparado para “morrer bem”. A dica é: aproveite este tempo e faça uma arrumação total nas suas coisas, retire tudo o que não lhe serve mais. Organize as gavetas, os armários, a mesa de trabalho e se desfaça, principalmente, daquilo que você guarda para usar “um dia” “, que nunca chega.

Faça um teste, olhe para o objeto – seja ele qual for, e se pergunte: qual foi a última vez que eu usei? Se ficar difícil de responder é hora de passar para a frente. O ‘retiro da boa morte’ é uma prática necessária desenvolver para que a morte, quando bater à porta, não pegue de surpresa, mas com o coração limpo e purificado, para nos encontrarmos com o Senhor.

“No entanto, não sabeis nem mesmo o que será da vossa vida amanhã! De fato, não passais de uma neblina que se vê por um instante e logo desaparece”(Tg 4,14)”.

Aos apegados e desorganizados com a vida o ‘Retiro da boa morte’ ensina o desapego e valoriza a necessidade de constantemente fazer uma revisão de vida. É preciso perceber as coisas que foram permitidas entrar no nosso coração e na alma para, assim, fazer uma faxina e deixar o “ambiente” agradável e habitável; a final, o exterior de uma pessoa reflete seu interior.

Fonte: CNBB

Share
Mesmo em clausura, carmelitas integram história do Santuário

Mesmo em clausura, carmelitas integram história do Santuário

Um lugar de silêncio, oração e contemplação. Assim é o Carmelo de Aparecida (SP). Localizado próximo ao Seminário Bom Jesus, o lugar abriga 24 irmãs, que formam a comunidade local. Desde o dia 7 de dezembro de 1952, as religiosas realizam seu trabalho sob o olhar da Padroeira do Brasil. Nesta data, as carmelitas que viviam em Mogi das Cruzes (SP) há vinte anos chegaram à Aparecida. O primeiro local a ser visitado foi a Matriz-Basílica, que na época abrigava a Imagem de Nossa Senhora.

O Carmelo e o Santuário – Comemorando 65 anos de inauguração em 2017, o local possui estreita ligação com o Santuário Nacional. Isso pode não ficar claro quando se chega no local, já que as religiosas vivem atrás das grades, exigência papal da clausura, e só saem de lá para consultas médicas. Porém, a história demonstra a forte presença da Congregação junto a história moderna da devoção à Nossa Senhora Aparecida.

“A partir da nossa chegada, a Imagem original passou a usar mantos fabricados por nós. Essa tradição seguiu até 2013. Na época, as irmãs Bernadete e Marta Maria bordavam o manto para Nossa Senhora. Já as fac-símiles passaram a ganhar um manto especial para a Novena em 2009, quando presenteamos pela primeira vez nossa Padroeira. De lá para cá se tornou tradição”, destaca a religiosa.

Em 2012, mais uma vez as Carmelitas integraram a história do Santuário Nacional, mais precisamente no projeto da Cúpula Central. Em março daquele ano, as religiosas iniciaram a confecção das parcelas dos mantos distribuídos aos participantes da Campanha dos Devotos que auxiliaram na obra do baldaquino e do domo sobre o Altar Central.

“Dom Darci, que na época era padre Darci, nos confiou a missão de fazer as relíquias do manto. Cortávamos e colávamos um por um, fazendo um trabalho que só se encerrou o ano passado”. A atividade, embora feita de forma simples, ganhava uma motivação especial. “Nós fazíamos com muita oração, pois aquela peça tocou nela em um momento especial. Já rezávamos por todos os que iam receber o mantinho em suas casas”, recorda a madre.

Para a peregrinação da Imagem Jubilar nas capitais dos estados brasileiros, mais uma vez as habilidosas mãos das Carmelitas entraram em ação. Elas foram responsáveis por confeccionar entre 2014 e 2017 os mantos utilizados na peregrinação que celebrou os 300 anos de devoção dos brasileiros à sua Padroeira. Os artefatos estão expostos no circuito de visitação á Cúpula e podem ser vistos de perto pelo público.

Além das contribuições físicas, as ligações espirituais também estão presentes na história do Mosteiro. A obra, por exemplo, foi arquitetada por Benedito Calixto, que também projetou a Basílica de Aparecida. Na estrutura, também foram utilizados tijolinhos a vista, mesmo material usado na construção do maior templo mariano do mundo. “A gente vê nisso a Providência de Deus. Não foi algo combinado, mas acabou acontecendo”, afirma madre Maria.

Outro ponto alto para as monjas acontece durante a Novena e Festa da Padroeira. No mosteiro, longe da tecnologia, os aparelhos eletrônicos são utilizados raras vezes. “A Novena de Nossa Senhora Aparecida é o único momento em que assistimos a televisão. Acompanhamos a Novena da noite cantando e rezando”. Ainda em outubro, as irmãs aproveitaram o período da tarde para adornar o altar da sala em que se reúnem para rezar.

De Aparecida para o Brasil – A religiosa também afirma que Nossa Senhora Aparecida inspirou outros três conventos carmelitas. “É como se Nossa Senhora enviasse essas nossas irmãs para irem em missão. Sem dúvida Ela inspirou esse envio das irmãs na fundação destes outros mosteiros”, comenta.

As fundações saídas de Aparecida aconteceram em dois estados diferentes. Um convento foi instalado no estado de São Paulo, em Cotia e outros dois em Minas Gerais, nas cidades de Passos e Três Pontas. Este último é bastante conhecido por ter sido fundado pela Serva de Deus Madre Tereza Margarida.

Uma história de santidade 
Conhecida como “Nossa Mãe”, a religiosa morreu com fama de santidade e atualmente encontra-se em processo de beatificação. Seu exemplo até hoje inspira as Carmelitas de Três Pontas (MG), conforme conta a irmã Maria Elisabeth da Trindade, do Carmelo mineiro. “A vocação da Serva de Deus nasceu na Casa de Nossa Senhora Aparecida, quando ela veio visitar a Imagem com sua família. Ela nutria uma devoção muito grande e esta devoção foi passada para nós, suas filhas espirituais”, ressalta.

Madre Tereza viveu por muitos anos em Aparecida antes de partir para Três Pontas. Em suas memórias é possível encontrar a descrição do dia em que deixaram a terra da Padroeira do Brasil rumo a nova fundação. “Passamos na Basílica para despedirmo-nos de Nossa Mãe e Rainha e pedir-lhe a bênção para a viagem e para o novo Carmelo. Saindo de Aparecida, Monsenhor Mesquita entoou e nós cantamos com muito fervor ‘Viva a Mãe de Deus e nossa’!”, escreveu a Serva de Deus. Ao sair, levou uma imagem de Nossa Senhora Aparecida que até hoje é venerada pela comunidade do convento.

Vocações sob o manto da Mãe – Atualmente, o Carmelo de Aparecida encontra-se lotado. A comunidade conta hoje com uma licença especial para abrigar três religiosas a mais do que o normal. “Nosso Carmelo é composto em sua maioria por irmãs jovens. Estamos também acompanhando outras que desejam ingressar na vida religiosa”, conta madre Elisabeth. Apesar disso, o Mosteiro encaminha as vocações que chegam para outras unidades.

Para a responsável pelo mosteiro de Aparecida, o motivo do crescimento na procura pela vida de clausura é facilmente explicável. “Nossa Senhora Aparecida com certeza atrai essas vocações. Para nós é uma bênção vivermos sob o manto de nossa Padroeira”, finaliza.

O Carmelo de Santa Teresinha está localizado na rua João Andrade Costa, 65, em Aparecida (SP). As missas acontecem diariamente às 7h.

Fonte: A12

Share
Papa no Angelus: Maria, único “oásis sempre verde” da humanidade

Papa no Angelus: Maria, único “oásis sempre verde” da humanidade

Que Maria nos ajude a permanecer jovens, dizendo “não” ao pecado, e a viver uma vida bela, dizendo “sim a Deus”.
Intimidade com a Palavra de Deus, “próxima ao seu coração” e que depois “fez-se carne em seu ventre”. Este é o segredo de Maria para ter uma vida bela, apesar dos medos e preocupações, disse o Papa em sua alocução, que precedeu a oração do Angelus na Solenidade da Imaculada Conceição.

“Cheia de graça”, “criada pela graça”, uma palavra difícil de traduzir – disse Francisco – ao comentar a anunciação do anjo a Maria narrada no Evangelho de Lucas.

“Antes de chamá-la Maria, a chama cheia de graça – disse o Papa aos fiéis reunidos na grande Praça São Pedro – e assim revela o novo nome que Deus deu a ela e que se adapta melhor do que o nome dado pelos seus pais. Também nós a chamamos assim, em cada Ave Maria”.

Mas, o que quer dizer cheia de graça?

“Que Maria é repleta da presença de Deus. E se é totalmente habitada por Deus, nela não há lugar para o pecado. É uma coisa extraordinária, porque tudo no mundo, infelizmente, é contaminado pelo mal. Cada um de nós, olhando-se dentro, vê lados obscuros. Também os maiores santos eram pecadores e todas as realidades, até mesmo as mais belas, são atingidas pelo mal: todas, exceto Maria”.

Ela é o único “oásis sempre verde” da humanidade – completou o Papa – “a única incontaminada, criada imaculada para acolher plenamente, com o seu “sim”, Deus que vem ao mundo e começar assim uma história nova”.

Ao dizer a Maria “cheia de graça”, também estamos fazendo a ela de forma elegante um elogio à tenra idade que aparenta ter, pois ela “nunca envelheceu pelo pecado”, disse o Santo Padre, que acrescentou:

“Existe uma única coisa que faz realmente envelhecer: não a idade, mas o pecado. O pecado torna velhos, porque atrofia o coração. Fecha-o, torna-o inerte, o faz murchar. Mas a cheia de graça é vazia de pecado. Então é sempre jovem, é “mais jovem do que pecado”, é “a mais jovem do gênero humano”.

A Igreja hoje se regozija em Maria, chamando-a toda bela, tota pulchra:

“Como a sua juventude não está na idade, assim a sua beleza não consiste na aparência. Maria, como mostra o Evangelho de hoje, não se sobressai em aparência: de família simples, vivia humildemente em Nazaré, uma cidadezinha quase desconhecida”.

“Maria não era uma mulher famosa”, ninguém soube quando o anjo a visitou, “naquele dia não estava ali nenhum repórter”, observou Francisco. Ela teve preocupações e temor, mas sua vida era bela. E qual era o seu segredo?, pergunta-se o Papa, que explicou:

“A Palavra de Deus era o seu segredo: próxima ao seu coração, fez-se depois carne em seu ventre. Permanecendo com Deus, dialogando com Ele em toda circunstância, Maria tornou bela a sua vida. Não a aparência, não aquilo que passa, mas o coração voltado para Deus faz a vida bela”.

Ao concluir, o Papa pediu que olhássemos hoje “com alegria para a “cheia de graça”. Peçamos a ela para ajudar-nos a permanecer jovens, dizendo “não” ao pecado, e a viver uma vida bela, dizendo “sim a Deus””.

Ao saudar os peregrinos presentes na Praça São Pedro, “especialmente as famílias e os grupos paroquiais”, Francisco recordou que na tarde desta sexta-feira, vai à Praça de Espanha, “para renovar o tradicional ato de homenagem e de oração aos pés do monumento à Imaculada. Peço a vocês para unirem-se espiritualmente a mim neste gesto, que expressa a devoção filial a nossa Mãe celeste”.

Fonte: RadioVaticano

Share