Jogadores da Chapecoense são recebidos pelo Papa

Jogadores da Chapecoense são recebidos pelo Papa

“A memória da vocação reaviva a esperança”. Com este tema de sua catequese, o Papa Francisco voltou a realizar a Audiência Geral na Praça São Pedro, que nesta quarta-feira teve a presença de sacerdotes do Colégio Pio Brasileiro e da equipe da Chapecoense, que na noite de sexta-feira disputará um amistoso no Estádio Olímpico contra o Roma.

Francisco recorda que às margens do Jordão, João Batista disse: “Eis o Cordeiro de Deus”, Jesus ganha dois novos jovens seguidores, a quem pergunta: “Que procurais?”.

“Jesus – observou o Papa – aparece nos Evangelhos como um especialista de coração humano.

Naquele momento, havia encontrado dois jovens que estavam buscando, com uma saudável inquietude”:

“Com efeito, que juventude é uma juventude satisfeita, sem uma busca de sentido? Os jovens que não buscam nada não são jovens, estão aposentados, envelheceram antes do tempo. É triste ver jovens aposentados. E Jesus, em todo o Evangelho, em todos os encontros que lhe acontecem ao longo do caminho, aparece como um “incendiário” dos corações”.

Por isso faz a pergunta “o que procurais?”, justamente para “fazer emergir o desejo de vida e de felicidade que cada jovem traz”.

Então, Francisco pergunta aos jovens que estão na Praça São Pedro e aqueles que acompanham pela mídia:

“Tu, que és jovem, o que procuras? O que procuras no teu coração?”

E foi assim que começou a vocação de João e de André, dando início a uma amizade com Jesus tão forte, que criou uma comunhão de vida e de paixão com Ele. E esta convivência com Jesus, transformou-os logo em missionários, tanto que seus irmãos Simão e Tiago também passam a seguir Jesus.

Ele cita que o matrimônio, a vida consagrada, o sacerdócio, cada vocação verdadeira inicia com um encontro com Jesus que nos dá alegria e uma esperança nova; e nos conduz, mesmo em meio às provações e dificuldades, a um encontro sempre mais pleno, cresce.

“Certamente, existem provações na vida, existem momentos em que é necessário seguir em frente não obstante o frio e os ventos contrários. Porém os cristãos conhecem o caminho que conduz àquele fogo sagrado que os acendeu uma vez para sempre”, reflete o Santo Padre.

O Papa por fim, alerta para não darmos atenção à quem nos tira o entusiasmo e a esperança, mas a sonharmos com um mundo diferente e cultivarmos sãs utopias.

“Mas por favor, recomendo: não demos ouvidos às pessoas desiludidas e infelizes; não escutemos quem recomenda cinicamente para não cultivar esperanças na vida; não confiemos em quem apaga ao nascer cada entusiasmo, dizendo que nenhuma empresa vale o sacrifício de toda uma vida; não escutemos “velhos” de coração que sufocam a euforia juvenil.

Fonte: A 12

Share
Diocese de Macapá (AP) se posiciona contra o decreto de extinção da Renca

Diocese de Macapá (AP) se posiciona contra o decreto de extinção da Renca

Leia o Manifesto:

“A política não deve submeter-se à economia, e esta não deve submeter-se aos ditames e ao paradigma eficientista da tecnocracia. Pensando no bem comum, hoje precisamos imperiosamente que a política e a economia, em diálogo, se coloquem decididamente ao serviço da vida, especialmente da vida humana.(…) Convém evitar uma concepção mágica do mercado, que tende a pensar que os problemas se resolvem apenas com o crescimento dos lucros das empresas ou dos indivíduos. Será realista esperar que quem está obcecado com a maximização dos lucros se detenha a considerar os efeitos ambientais que deixará às próximas gerações?”

(Papa Francisco – Laudato si, 189 )

O clero da Diocese de Macapá, reunido em Macapá (AP), nos dias de 22 a 24 de agosto de 2017 e a liderança leiga de nossa Diocese, reunida em 26 de agosto, na mesma cidade, manifestam sua posição a respeito do Decreto 9142/2017 de autoria do Poder Executivo.

Este decreto extingue a Reserva Nacional do Cobre e Associadas (Renca), uma área de 47 mil km2 entre o Pará e o Amapá, rica em ouro e outros minérios, mas também fundamental para a conservação da biodiversidade do bioma amazônico e a sobrevivência de comunidades locais. “Segundo relatório divulgado no mês passado pela WWF-Brasil e Jazida.com, a extinção da Renca deverá gerar uma série de conflitos entre a atividade minerária, a conservação da biodiversidade e os povos indígenas.

A Renca engloba nove áreas protegidas, sendo três delas de proteção integral: o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, as Florestas Estaduais do Paru e do Amapá, a Reserva Biológica de Maicuru, a Estação Ecológica do Jari, a Reserva Extrativista Rio Cajari, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Iratapuru e as Terras Indígenas Waiãpi e Rio Paru d`Este. ” (www.wwf.org.br)

A liberação da atividade minerária neste local colocará em risco:

A preservação do bioma Amazônico, um dos focos da CF 2017 – CNBB, com o desmatamento e a perda da biodiversidade

As áreas protegidas, podendo causar impactos irreversíveis ao meio ambiente e aos povos da região que, na sua maioria, estão dentro da circunscrição geográfica de nossa diocese;

Haverá exploração e comprometimento dos recursos hídricos;

Haverá também o acirramento dos conflitos fundiários e ameaça a povos indígenas e populações tradicionais;

Diante disso demonstramos uma grave preocupação com o Bioma Amazônico que foi colocado em risco por esse decreto e um repúdio a falta de respeito e diálogo com toda a população local e organismos de proteção.

Convocamos todos os cristãos, de modo especial, os membros das nossas comunidades e pessoas de boa vontade para se unirem na defesa da Casa Comum, como nos pede o Papa Francisco. Neste caso concreto se propõe a defesa do Bioma Amazônico que é a nossa casa e de onde vem o nosso sustento. Nossa intenção não tem outro interesse que não seja o de buscar o melhor para o nosso povo, principalmente os mais fragilizados.

Na celebração do Ano Mariano Nacional, confiamos o povo brasileiro à intercessão de Nossa Senhora Aparecida. Deus nos abençoe!

Macapá, AP, 26 de agosto de 2018.

Fonte: CNBB

Share
Santuários Marianos e as peregrinações: Entenda a relação e importância 

Santuários Marianos e as peregrinações: Entenda a relação e importância 

Você já se perguntou o porquê de fazer uma peregrinação para um Santuário Mariano? Muitas vezes somos motivados a peregrinarmos rumo a um Santuário de Nossa Senhora, porém, nem sempre compreendemos o sentido de realizarmos esta ação. Pois bem, vamos entender um pouco sobre o sentido desta peregrinação e quais os benefícios de realizá-la?

 

A importância das peregrinações

É importante lembrarmo-nos do que nos diz o Catecismo da Igreja Católica (CIC) acerca do tema:

  • Primeiro, a peregrinação é uma característica da religiosidade popular, que juntamente com a liturgia sacramental e os sacramentos, formam a piedade dos fiéis. O CIC comenta que a manifestação da religiosidade popular circunda a vida sacramental da Igreja e vai desde a veneração de uma relíquia até procissões, danças religiosas, o rosário e outros…
  • Segundo, peregrinar significar ir ao encontro de Deus. Subir ao monte para orar, como fez Jesus e seus discípulos na Transfiguração do Senhor (Mt 17, 1-9). As peregrinações representam nossa caminhada pela terra rumo ao céu. São tradicionalmente tempos fortes de renovação da oração.

 

Os santuários são para os peregrinos, em busca de suas fontes vivas, lugares excepcionais para viver “como Igreja” as fontes da oração cristã (CIC 2691). Com base no que diz o Catecismo da Igreja já é possível compreendermos o porquê de peregrinar rumo a um santuário mariano.

Ir a um santuário mariano requer de nós um coração desejoso de adorar a Deus na casa de Maria. Os santuários marianos são locais de intensa adoração a Nosso Senhor e de grande devoção a Nossa Senhora. Fazer o percurso oracional até um santuário permite ao fiel ter uma forte experiência com o amor de Deus, com a sua misericórdia e com a sua fidelidade constante. Esses benefícios são testemunhados pelos próprios peregrinos que relatam graças alcançadas.

Neste ano em que a Igreja celebra os 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida e os 100 anos das aparições de Fátima, somos mais que impulsionados a realizarmos uma peregrinação a um dos santuários dedicados a Maria.

É importante lembrarmos que o Papa Francisco, por ocasião do Ano Jubilar Mariano no Brasil (12 de outubro de 2016 a 11 de outubro de 2017), concedeu a indulgência plenária àqueles que realizarem peregrinação rumo ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida ou a qualquer igreja do Brasil dedicada a ela. Para receber a indulgência plenária, o fiel deve confessar-se sacramentalmente, realizar a comunhão eucarística e rezar pelas intenções do santo padre, o Papa.

Santuário de Angelina

O Santuário de Angelina, em Santa Catarina, dedicado a Nossa Senhora Imaculada Conceição, também acolhe peregrinos de diversos lugares do país. Lá, os fiéis além rezarem no interior do Santuário, têm a opção de realizarem uma via-sacra que termina diante da Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, no mesmo município.

O Santuário fica aberto todos os dias. Faça a sua peregrinação em louvor a Deus e a Nossa Senhora rumo ao Santuário de Angelina!

Confira o endereço: Praça Nicolau Kretzer, 254, Angelina (SC).

Share
Papa: confiemo-nos cada dia a Maria e rezemos o Terço

Papa: confiemo-nos cada dia a Maria e rezemos o Terço

Ao final de sua catequese, o Papa saudou os peregrinos presentes na Sala Paulo VI para a Audiência Geral.

Ao dirigir-se aos peregrinos de língua alemã, Francisco recordou que nestes dias “contemplamos Maria Rainha do Céu”:

“Cristo tornou sua mãe partícipe de sua vitória sobre a morte. Confiemo-nos a Mãe Celeste para que, como ela, ao final de nosso caminho terreno, possamos alcançar a meta da nossa vida, segundo o projeto de Deus”.

Uma saudação mariana também foi dirigida aos poloneses:

“Dentro de poucos dias, sábado e domingo próximo, muitos de vós, pessoal ou espiritualmente, se reunirão na assim chamada “Caná Polonesa”, o vosso Santuário nacional em Jasna Góra, para celebrar a Solenidade da bem-aventurada Maria Virgem de Częstochowa e o terceiro centenário da coroação de sua efígie milagrosa. Apresentando-vos diante do rosto da vossa Mãe e Rainha, colocai-vos em escuta atenta da sua palavra: “Fazei tudo o que ele vos disser”. Que ela seja para cada um de vós uma indicação na formação da consciência, no colocar ordem na vida pessoal e familiar, na construção do futuro da sociedade e da nação”.

Por fim, uma recomendação mariana aos peregrinos italianos

“E não esqueçam de rezar cada dia o terço (…). Caríssimos, elevemos o olhar ao Céu para contemplar o esplendor da Santa Mãe de Deus, que na última semana recordamos na sua Assunção, e ontem a invocamos como nossa Rainha. Cultivem em relação a ela uma devoção sincera, para que esteja ao vosso lado na cotidiana existência”. (JE)

Fonte: Radio Vaticano

Share
CNBB estimula Jornada de Oração e Jejum pelo Brasil por ocasião do Dia da Pátria

CNBB estimula Jornada de Oração e Jejum pelo Brasil por ocasião do Dia da Pátria

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convida a todos para uma Jornada de Oração pelo Brasil, a ser realizada nas comunidades, paróquias, dioceses e regionais do país, de 1º a 7 de setembro próximo. Os bispos decidiram mobilizar os cristãos, por meio da oração, após a análise da realidade brasileira feita na última reunião do Conselho Episcopal Pastoral da entidade, dias 10 e 11 de agosto.

O Dia de Oração e Jejum sugerido é o dia 7 de setembro, data que marca a Independência do Brasil. Além da carta, enviada a todos os bispos brasileiros, foi enviada também uma oração (confira abaixo), a mesma enviada por ocasião da celebração de Corpus Christi, com uma pequena adaptação na última prece.

Segundo o bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, a Jornada de Oração é uma oportunidade para que os cristãos e pessoas de boa vontade que querem um Brasil melhor, mais fraterno e não dividido se unam.

“Nós estamos necessitados de um novo Brasil, mais ético; de uma política mais transparente. Nós não podemos chegar a um impasse de acharmos que a política pode ser dispensada. A política é muito importante, mas do modo do comportamento de muitos políticos, ela está sendo muito rejeitada dentro do Brasil. Nós esperamos que esse dia de jejum e oração ajude a refletir essa questão em maior profundidade.”

Um dos trechos da oração, encaminhada a todos os bispos do país pelo Consep, pede:

“Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos”.

Veja a íntegra da oração:

JORNADA DE ORAÇÃO PELO BRASIL

Semana da Pátria
1º a 07 de setembro de 2017
07 de setembro – dia da Pátria: Vida em primeiro lugar
A paz é o nome de Deus” (Papa Francisco)

Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, pedindo a bênção da paz para o Brasil.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos agentes da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Vosso filho Jesus está no meio de nós, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas.

Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

Neste ano em que celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, queremos seguir o exemplo de Maria, permanecendo unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo.

Amém!
(Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!)

Veja a íntegra da carta:

Brasília-DF, 10 de agosto de 2017
SG – Nº. 0500/17

Prezado irmão no episcopado,
Unidos para servir!

Vivemos um momento difícil e de apreensão no Brasil. A realidade econômica, política, ética vem acompanhada de violência e desesperança.

O Conselho Permanente, ao refletir o momento vivido, pediu que a Presidência enviasse carta ao irmão, sugerindo um Dia de jejum e oração pelo Brasil. Pediu igualmente que fosse enviada uma oração que pudesse ser rezada nas comunidades e famílias.

O dia de oração e jejum sugerido é o dia 7 de setembro próximo. A oração que enviamos também em anexo é a mesma que rezamos no dia de Corpus Christi. Houve uma adaptação na última prece.

Convidamos o irmão a incentivar a participação das comunidades e famílias no Dia de Jejum e oração pelo Brasil.

Em Cristo, unidos para servir,

Cardeal Sergio da Rocha                                     Dom Murilo S. R. Krieger
Arcebispo de Brasília – DF                                          Arcebispo de São Salvador
Presidente da CNBB                                                 Vice-presidente da CNBB

Dom Leonardo Ulrich Steiner
     Bispo Auxiliar de Brasília – DF
Secretário-Geral da CNBB

Share
México: jovens católicos seguem o Papa, outro jovem apaixonado por Deus

México: jovens católicos seguem o Papa, outro jovem apaixonado por Deus

Jovens católicos de diferentes partes do mundo são protagonistas da nova evangelização, num âmbito diferente em cada país, mas com o mesmo esforço de motivar uma Igreja em saída, com valores que inspirem os novos passos da sociedade.
No México, por exemplo, o final de semana foi de mais um chamado para a vocação com a celebração do Dia Nacional do Jovem Católico. No domingo, 13 agosto, o Seminário Maior da cidade universitária de Xalapa, capital do Estado de Veracruz e a 350 km da Cidade do México, mobilizou milhares de jovens e adolescentes para festejar a fé com a alegria e o entusiasmo da nova geração.
María Fernanda Cruz Mirabal, de 21 anos, estudante de Comunicação, é uma fotografia fiel dessa juventude mexicana:
María Fernanda – “Acredito que não há maior expressão de fraternidade e de amor que compartilhar também com os jovens a religião. Acaba nos ajudando muito! Com o grupo que fui a Cracóvia (JMJ 2016), muitos acabaram decidindo o que realmente queriam, qual era a sua vocação. Alguns descobriram diferentes talentos que tinham escondido, outros aprenderam a socializar. No meu caso, aprendi a confraternizar com muitas pessoas de outros países, a compartilhar esse amor que tenho a Deus, com o mesmo amor que outras pessoas têm também na África, no Japão e até na Polônia. Acredito que nos ajuda muito espiritualmente, para o trabalho e a família, e também de maneira emocional, porque a gente se descobre, descobre as nossas capacidades e de outras pessoas, e de fazer comunidade.”
Entre os temas de reflexão do evento promovido pela Pastoral Juvenil e Arquidiocese de Xalapa: o jovem como agente da conversão social. Em entrevista exclusiva para a redação brasileira, María Fernanda usou do exemplo do próprio Papa para mostrar a importância da atuação da juventude. Lembrou que eles não querem ser os jovens-sofá e ficar em casa, trancados; querem, sim, é ir até as periferias para “fazer uma revolução geral de fraternidade”.
María Fernanda – “Este homem tem conseguido mudar muitíssimo as expectativas de todas as pessoas, pois nos ensinou a ser humildes, a ser sensíveis, mas, sobretudo, a ser racionais e inteligentes. Porque a religião não está brigada com a ciência, não está brigada com o conhecimento, mas, ao contrário: quanto mais nos educamos, indagamos e lemos, mais aprendemos e podemos compartilhar com os outros. Este Papa, apesar da sua idade e de suas dificuldades de saúde, é um adulto, sim, mas a sua alma é de um jovem, um jovem apaixonado por Deus, que convida todos a fazer parte desse movimento. Ele nos transmite esse desejo de seguir, de lutar, de compartilhar com o mundo esse amor a Cristo.”
María Fernanda acredita, verdadeiramente, que o magistério do Papa Francisco não só tem melhor orientado os jovens, como tem feito uma revolução de amor a Deus em níveis imprevisíveis.
María Fernanda – “Francisco tem sido a grande revolução que estávamos esperando na Igreja. É a cúpula da nossa fé e nos tem ajudado muito a reafirmar o que sentimos. Então, qualquer pessoa que diga que Francisco está louco, pois, sim, na verdade está louco, e nós também estamos loucos por segui-lo, porque ele nos ensinou a ser loucos, mas para amar a Cristo. Uma loucura cheia de amor, e não há melhor sentimento que esse.”

Fonte: Radio Vaticano

Share
Devoção Mariana: 10 coisas que você está esquecendo

Devoção Mariana: 10 coisas que você está esquecendo

A devoção Mariana nos aponta uma via segura para nossa caminhada rumo à santidade. São muitas orações marianas que nos ajudam a trilhar esse caminho. Umas das mais conhecidas é a própria oração de Maria ao entoar o seu Magnífica, descrita pelo evangelista Lucas.

Desde os primeiros anos do cristianismo, Maria é tida como um sinal de devoção e de via segura que nos leva para o céu. Relembremos um pouco da vida e oração e de Nossa Senhora e sejamos, assim como ela, apaixonados por Deus.

 

1 – A cheia de Graça

Já no momento da anunciação do Anjo Gabriel à Maria podemos perceber que a saudação do anjo evoca Nossa Senhora como a cheia de graça: “Alegra-te, ó cheia de graça, o Senhor está contigo!” (Lc 1, 28). Tal reverência evidência que ela era um sinal da ação poderosa de Deus em favor do seu povo. Não é a toa que Maria foi agraciada por Deus ao nascer sem a mancha do pecado original, sendo reconhecida como a Imaculada Conceição.

 

2 – Maria, a escrava do Senhor

“Eis aqui a escrava do Senhor!”. Esse “sim” à vontade de Deus é um exemplo de submissão e obediência. A resposta de Maria não foi da boca para fora, mas se concretiza quando ela se coloca à inteira disposição do Senhor.

 

3 – Maria, acolhedora do Verbo Encarnado

O sim de Maria exaltou os humildes, pois Deus se fez pequeno. Sendo Divino, encarnou-se na condição de humano e habitou entre os homens. O sim e a pequenez da Virgem Maria nos ensina a fazermos a Vontade de Deus.

 

4 – Maria, a Mulher servidora

É também de Maria que surge um belo exemplo de serviço aos irmãos. Ela, ao saber pelo Anjo Gabriel que Isabel estava grávida, logo foi à casa da prima para servir àquela que era tida como estéril. A distância e os perigos do deserto não foram motivos para fazê-la desistir de servir com generosidade a Deus, através da vida de sua prima Isabel.

 

5 – Maria, anunciadora da alegria e da salvação

Foi Maria a primeira mulher a anunciar a salvação que vem do Senhor. Sua saudação, ao visitar Isabel, faz com que João Batista que estava ainda no ventre de Isabel, exultasse de alegria pela presença de Cristo, o Salvador.

 

6 – Isabel confirma tamanha graça de Maria

Ao receber a visita de Maria, Isabel proclama Nossa Senhora como a “bendita entre todas as mulheres”, a que era cheia do Espírito Santo e que trazia em seu ventre o Salvador.

7 – Nossa Senhora, a mãe de todos os pecadores

Aos pés da cruz, Jesus nos dá a sua mãe por nossa mãe. Assim, Maria passa a ser para nós um socorro diante das aflições. Ela toma um lugar privilegiado na vida dos filhos de Deus: o de ser nossa mãe.

 

8 – A obediente

Como filha de Deus soube obedecer ao Senhor e guardar tudo em seu coração. O que dizer do momento em que ela perde o menino Jesus no templo e ao encontrá-lo ouvi-lhe perguntar se ela não sabia que Ele deveria estar na casa do Pai. Esta obediência de Maria é um sinal de como podemos acolher a Palavra de Deus com humildade e submissão – escutando o Senhor, guardando tudo em nosso coração – e vivendo os desígnios dele a nosso respeito.

9 – Proclamar as maravilhas do Senhor

Uma Mulher tão especial, eleita para ser a Mãe do Salvador, soube proclamar as maravilhas do Senhor dizendo: “O Poderoso fez em mim maravilhas…” Essa Mulher nos ensina que qualquer ação de Deus em nossa vida deve ser motivo de louvor e glória ao Todo Poderoso.

 

10 – Maria e a oração

São inúmeros os relatos das aparições de Nossa Senhora pelo mundo. Em quase todas Maria nos faz um pedido comum: rezar o terço todos os dias. Essa oração é uma grande arma contra o mal e especialmente, contra as tentações do maligno.

Que Nossa Senhora nos ensine o caminho da oração e nos guie no encontro a Deus. Que o Senhor nos conceda a graça de crescermos na devoção mariana e nos guarde de todo mal.

Share
Diocese de Joinville está de braços abertos para receber os participantes do 10º Muticom

Diocese de Joinville está de braços abertos para receber os participantes do 10º Muticom

No próximo dia 16, tem início em Joinville (SC), o 10º Mutirão Brasileiro de Comunicação, com o tema “Educar para a Comunicação”, que se estende até dia 20 de agosto. A preparação para receber os participantes e para organizar o encontro, no entanto, começou há dois anos. Segundo o bispo de Joinville, dom Francisco Carlos Bach, a diocese reuniu todas as suas forças e criou uma equipe numerosa, coesa e empenhada em organizar o evento da melhor forma possível.

Às vésperas do Mutirão, o recém empossado bispo da diocese disse que estes dias que antecedem o encontro estão sendo de muita preparação, muito empenho e trabalho para todos. “É uma grande responsabilidade acolher um evento tão importante em nossa diocese de Joinville. Estamos dando o melhor de nós com todo carinho e atenção possíveis”, disse o anfitrião.

Além de se hospedarem em um belíssimo estado, com natureza exuberante, Santa Catarina, dom Francisco diz que os inscritos no Muticom vão ser bem acolhidos e tratados como príncipes e princesas, em alusão ao fato de Joinville ser conhecida com a “cidade dos príncipes”. “Serão dias inesquecíveis para estas pessoas. Que sejam todos bem vindos”.

O bispo lembra que à pastoral de Comunicação da diocese foram agregados representantes dos diversos setores da Mitra Diocesana e das diversas pastorais sociais e movimentos eclesiais. “O Muticom está sendo preparado por uma grande equipe, dividida em diversas áreas de atuação”, disse.

Segundo dom Francisco, em 2016 o foco foi divulgar o evento para todo o Brasil e principalmente para a diocese de Joinville. Como parte da estratégia de envolvimento com o Muticom, o bispo diz que a equipe de organização se reuniu com padres e lideranças da diocese. “O resultado é o grande número de participantes de nossa diocese inscritos no evento,além é claro das pessoas envolvidas na organização”, diz.
                                                                                                                                                                                                Acolhida solidária
A diocese se organizou e cadastrou, nas paróquias, famílias interessadas em acolher os participantes do evento. Conforme estes foram solicitando hospedagem em casas de famílias, são direcionadas para uma pessoa da equipe, responsável, por cadastrar e organizar a logística de acolhida.

“Sem dúvida nenhuma, as famílias estão preparadas e aguardando ansiosas a chegada dos participantes. Saliento que o povo de nossa diocese é muito acolhedor e prestativo. Acredito que as pessoas que virão e que optaram por este tipo de hospedagem, serão muito bem acolhidas em nossa diocese e famílias”, assegura o bispo. A diocese de Joinville organiza, desde o ano 2000, a Escola de Comunicação, um projeto referência no Brasil que já formou mais de 550 alunos. O bispo afirma que a proposta da escola dialoga com o tema do Muticom deste ano: “Educar para a comunicação”.

Dom Francisco tomou posse, como 5º bispo diocesano de Joinville, dia 24 de junho deste ano e apesar do pouco tempo, se diz muito impressionado com a vitalidade desta igreja particular. “Impressiona-me a sua organização e seu ritmo pastoral. São milhares os grupos bíblicos de reflexão; há um imenso amor às missões. Me sinto em casa, já sou um ‘barriga verde’. Me sinto muito bem acolhido e, em menos de dois meses, constatei o amor do querido povo catarinense à Jesus e à sua Igreja. Que são Francisco Xavier, padroeiro desta Igreja, nos abençõe”, concluiu.

 

Fonte: CNBB

Share

Papa: que não se repitam esses crimes vergonhosos em locais de culto

Antes de saudar os peregrinos italianos ao final da audiência, o Papa Francisco recordou os atos de violência contra os cristãos na Nigéria e na República Centro-Africana:
“Fiquei profundamente entristecido pela tragédia ocorrida no último domingo na Nigéria, dentro de uma igreja, onde foram mortas pessoas inocentes. E infelizmente esta manhã chegou a notícia de violências homicidas na República Centro Africana contra a comunidade cristã. Faço votos de que cesse toda a forma de ódio e de violência e não se repitam mais crimes assim vergonhosos, perpetrados em locais de culto, onde os fiéis se reúnem para rezar”.
“Pensemos nos nossos irmãos da Nigéria e da República Centro-Africana e rezemos por eles todos juntos….Ave Maria…”.
No último domingo, durante a celebração de uma Missa na Igreja de Saint Philips em Ozubulu, sudeste da Nigéria, alguns homens armados entraram no templo atrás de um “barão da droga”. Depois de tê-lo atingido, na fuga passaram a disparar contra os fiéis.
Segundo o Bispo da Diocese nigeriana de Nnewi, Dom Hilary Paul Odili Okeke, os mortos são 13 e os feridos 26.
Em um telegrama enviado na segunda-feira, o Papa se disse “profundamente entristecido ao tomar conhecimento da perda de vidas e os ferimentos causados pelo violento ataque”, “estendendo o seu sentido pesar a todos os fiéis da Diocese de Nnewi, em particular às famílias dos mortos e a todos aqueles que foram atingidos pela tragédia”. (JE)
Fonte: Radio Vaticano

Share
Bispos da Venezuela: temor pelo advento de uma “democracia ditatorial”

Bispos da Venezuela: temor pelo advento de uma “democracia ditatorial”

Informações fornecidas pela Rádio vaticano dão conta de que a Conferência Episcopal venezuelana não esconde o temor pelo advento de uma “democracia ditatorial”. A esperança dos bispos hoje, depois de tantas manifestações nos dias passados, é que o apelo da Santa Sé seja acolhido por todos, seja pelo governo, seja pelos opositores.

A Secretaria de Estado do Vaticano havia enviado a seguinte mensagem: “A Santa Sé reitera sua profunda preocupação com a radicalização e o agravamento da crise na República Bolivariana da Venezuela, com o aumento dos mortos, dos feridos e dos detidos. O Santo Padre, diretamente e através da Secretaria de Estado, acompanha de perto a situação e suas implicações humanitárias, sociais, políticas, econômicas e também espirituais, e assegura sua constante oração pelo país e por todos os venezuelanos, enquanto convida os fiéis de todo o mundo a rezarem intensamente nesta intenção”.

A Rádio Vaticano ouviu Dom Mario Moronta, vice-presidente da Conferência venezuelana: “Recebemos com grande gratidão o comunicado da Santa Sé, que é uma maneira de reafirmar o que foi dito aqui na Venezuela, não só pelos bispos, mas também pelas pessoas de boa vontade. Este comunicado confirma a verdadeira preocupação do Santo Padre e da Santa Sé pela Venezuela. Esperamos que este apelo seja bem acolhido pelo governo. Certamente, é bem recebido pelas pessoas que esperam da Igreja não apenas uma palavra, mas também o compromisso de estar ao lado daqueles que sofrem”.
Fonte: CNBB

Share